Escola Básica João Afonso de Aveiro 2º Ciclo 5º e 6º ano 3º Ciclo 7º, 8º e 9º ano

Trabalhamos diariamente para garantir: ENSINO DE EXCELÊNCIA, EXIGÊNCIA DE DISCIPLINA, PROMOÇÃO DA SEGURANÇA

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Escola Básica João Afonso de Aveiro

Mais informações em http://agrupamentodeescolasdeaveiro.pt/

E-mail Print PDF


Exposição "De Luz Cor e Sombra a partir de Lourdes Castro"

apresenta trabalhos de alunos da Escola João Afonso

A exposição, constituída por trabalhos de alunos do 7º e do 8ºano realizados na disciplina de Oficina de Artes e de Educação Visual, a partir da obra da artista Lourdes Castro, estará patente ao público de 13 a 16 de junho, no Auditório Mestre Hélder Castanheira, junto da Livraria da Universidade de Aveiro.

A obra de Lourdes Castro, revisitada pelos alunos, incide nas assemblages/Caixas com reutilização de objetos do quotidiano, nos trabalhos sobre Sombras Projetadas e ContornosTeatro de SombrasHerbário de Sombras.

No 8ºano, estas experiências realizaram-se em interdisciplinaridade com as disciplinas de Físico-Química e Português. Com efeito, alunos do 8º ano visitaram a Fábrica Centro Ciência Viva de Aveiro, onde realizaram trabalho experimental sobre Luz, Cor e Sombras Coloridas e leram excertos de textos da artista plástica Lourdes Castro com vista à elaboração de textos poéticos relacionados com os seus trabalhos artísticos.

Na abertura da exposição, será feita uma apresentação da obra de Lourdes Castro, sublinhada pela leitura de alguns textos da artista e dos alunos, havendo ainda duas performances relacionadas com o tema Luz, Cor e Sombra.

A convite da professora Margarida Lemos, responsável pela exposição, o Dr. Pedro Pombo, Diretor da Fábrica Centro Ciência Viva, e o encenador Rui Spranger, familiar da artista, farão intervenções relacionadas com o tema da exposição.

Anexamos informações sobre MATRÍCULAS 2017, incluindo ficha de pré-inscrição (clique aqui)

 

 

HÁ MÚSICA NA ESCOLA

TORNEIO DE FUTEBOL DE 7


SOS AZULEJO

Os alunos do curso vocacional de Arte, Serviços e Tecnologia, apresentaram os seus trabalhos na Feira de Ciência, Artes e Ofícios sobre o Património Azulejar Português que esteve patente na Fábrica da Ciência Viva, no âmbito da “Ação Escola SOS Azulejo 2017”.

As peças cerâmicas que os visitantes da exposição puderam apreciar resultaram de muitas horas de trabalho e dedicação, pois a cerâmica não admite “distrações”, uma vez que até a falha mais pequena, é revelada pela mufla (o forno da cerâmica) após a cozedura. Como os trabalhos só vão à mufla depois de prontos, qualquer falta de atenção pode dar origem a um produto final de menor qualidade e gorar as expetativas.

Para produzir estes azulejos em forma de peixes endógenos da zona de Aveiro, os alunos percorreram várias etapas: começaram por fazer uma visita à cidade de Aveiro, durante a qual verificaram que havia fachadas de imóveis com exemplares de azulejos muito bonitos, alguns em bom estado e outros danificados. De regresso à sala de aula, com fotos das fachadas escolhidas, passaram o modelo de azulejo escolhido para papel cavalinho e, depois, para papel vegetal.

A seguir, os alunos fizeram uma pesquisa sobre biodiversidade piscícola e as espécies endógenas da nossa região. Desenharam o peixe selecionado em escala e passaram à produção.

Usando grés e barro, produziram as lastras (placas lisas e de espessura regular) a partir das quais moldaram as peças que, depois de secas, foram decoradas com os motivos dos azulejos previamente selecionados. Para que os trabalhos ficassem prontos para a exposição, foi ainda necessário proceder à pintura, à vidragem e à cozedura, a cerca de 1200 graus.

Fotografias de Estrela Melo e texto de Ermelinda Alves

Vídeo Healthy Color Run

(VEJA AQUI O VÍDEO)

II Caminhada "Mãos Solidárias"

Projeto de Educação para a Saúde (PES)

“Foi uma forma diferente e bonita de passar o último dia de aulas do segundo período”

Sr. Diretor Carlos Magalhães, In Diário de Aveiro, 05 de abril de 2017

(VEJA AQUI O VÍDEO)


Informações importantes

GUIA PARA APLICAÇÃO DE CONDIÇÕES ESPECIAIS NA REALIZAÇÃO DE PROVAS E EXAMES

NORMA 01/JNE/2017 Instruções para a Inscrição nas Provas e Exames do Ensino Básico e do Ensino Secundário

DESPACHO NORMATIVO 1A-2017

PROVAS FINAIS E EXAMES, Informações-Provas 2016/2017

Foi assim que a Escola Básica João Afonso de Aveiro celebrou o Dia Mundial do Estudante com o exercício de uma Cidadania Plena

 


 

 


 

Notícia publicada no Jornal Diário de Aveiro sobre a atividade realizada pelas 4 turmas que integram o projeto "Educação para a Segurança, a Defesa e a Paz"

(clique na imagem para ler a notícia)

Oficina de Teatro

ESPAÇO+

Sala M2

O Espaço + é um espaço pedagógico livre, aberto e destinado, prioritariamente, para os alunos dos anos de escolaridade que têm Provas de Aferição e Exames Nacionais da EB João Afonso de Aveiro. Poderá ainda ser frequentado pelos alunos que não tenham aulas ou apoios ao estudo em simultâneo. Com uma lotação limitada de 25 alunos o Espaço + tem o mesmo tipo de funcionamento e regras de uma sala de aula.

No Espaço +, através de um apoio individualizado e/ou em pequeno grupo, os alunos poderão encontrar Professores que os ajudarão a aprofundar as aprendizagens, a consolidar conhecimentos, a apropriar novos instrumentos e métodos de trabalho e estratégias de estudo e, simultaneamente, a aumentar os seus níveis de autonomia escolar e pessoal.

Atividades de Complemento Educativo

Exmº Sr. Encarregado de Educação:

À semelhança dos anos anteriores, a EB João Afonso de Aveiro, para além de oferecer Salas de Estudo para todas as suas turmas, orgulha-se por apresentar aos seus alunos um conjunto de atividades de complemento educativo no âmbito cultural e desportivo.

Os alunos deverão proceder à sua inscrição na atividade ou atividades que pretendem frequentar no horário e nas salas/espaço abaixo indicados junto dos Professores responsáveis pela mesma. Para o efeito, o aluno deverá preencher a Ficha de Inscrição, a qual que deverá ser assinada pelo Encarregado de Educação.

Observação: a atividade de Oficina de Teatro é destinado para os alunos do 5º e 7º ano, no âmbito do Projeto da Promoção ao Sucesso para estes anos de escolaridade.

 

 

Patrono

E-mail Print PDF

ESCOLA JOÃO AFONSO DE AVEIRO

A Escola João Afonso de Aveiro está a comemorar 40 anos de existência, o que a todos nós muito honra. Por aqui passaram alunos, professores e pessoal assistente que grandemente contribuíram para o seu bom nome e prestígio.

A Escola foi criada em 1968, para servir o concelho de Aveiro e outros concelhos limítrofes, resultante da criação do ensino preparatório. Foi inaugurada a 17 de janeiro de 1973, pelo almirante Américo Tomás, presidente da República e designava-se então Escola Preparatória de Aveiro. A 2 de abril de 1987, através da Portaria n.º 261/87, foi-lhe dada nova designação passando a chamar-se Escola Preparatória João Afonso de Aveiro.

O seu Patrono, João Afonso de Aveiro, consolida a mentalidade do ser aveirense, do espírito de empreendedorismo, esforço, perseverança, conquista, trabalho e desempenho. À sua semelhança, com espírito de trabalho, dedicação e entrega, a direção do Agrupamento de Escolas de Aveiro procura cultivar estes valores em prol do sucesso dos seus alunos.

JOÃO AFONSO DE AVEIRO

“O nome João Afonso de Aveiro figura, com merecimento e relevo, na história impar da gesta heroica dos descobrimentos portugueses e nas páginas da nossa literatura. É cheia de enigmas a sua biografia, em que há perguntas sem resposta claramente demonstradas:

- Será o mesmo João Afonso de Aveiro o homem da literatura e o homem do mar? Em geral admite-se que são dois indivíduos diferentes; mas nada obsta a que sejam a mesma pessoa, que se tenha dedicado não apenas à navegação e ao comércio mas também à poesia na Corte, em boa camaradagem com muitos outros poetas palacianos. Escreveu poemas; o seu nome figura entre os autores do século XV e no Cancioneiro de Garcia de Resende.

- O pronome de Aveiro indicará a sua naturalidade ou será apenas um apelido familiar? Comummente tem-se por sinal da terra onde terá nascido, e isso é-nos extremamente agradável. Todavia, há também quem opine – e com certo fundamento – que João Afonso de Aveiro teria nascido em Coimbra, sendo seu pai Afonso Domingues de Aveiro, o Moço, que por sua vez descendeu de Afonso Domingues de Aveiro, o Velho – este nado, batizado e criado em Aveiro e que, no atual Rossio, adquirira uma marinha de sal. É ainda este Afonso Domingues de Aveiro que nos aparece como partidário do Mestre de Aviz, vivendo em Coimbra, tomou parte nas cortes que aí se realizaram em 1385, como procurador dos concelhos de Coimbra e de Aveiro, para nomearem e aclamarem D. João I como Rei de Portugal. Foi denominado batalhador das liberdades nacionais.

Na atividade marítima, João Afonso de Aveiro foi um dos homens de D. João II que desvendaram os segredos da terra e do mar, no caminho da Índia. Navegou pela Guiné, redescobriu o reino e as terras de Benim e estabeleceu uma feitoria no porto de Gató, para tráfico de escravos e comércio de pimenta, marfim, ouro e outros produtos. O primeiro cronista que se lhe refere é Rui de Pina, na Crónica d’El-Rei D. João II.

(…) João de Barro, na sua Ásia – Década I, atribuiria a João Afonso de Aveiro uma ação decisiva na descoberta da Índia.

(…) João Afonso de Aveiro, falecido na Guiné em 1487, é bem o protótipo dos nossos mareantes que, consagrados às atividades do tráfego comercial por rotas oceânicas, receberam influxos de outras gentes e de outras civilizações e, insensível e concomitantemente, foram alicerçando em si próprios um sentido emancipador de liberdade em face das apertadas e estagnadas tradições ancestrais. In João Gonçalves Gaspar, A Liberdade em Aveiro, pp. 19-21)

 

 

 

Obra Poética de João Afonso de Aveiro

E-mail Print PDF

A obra poética de João Afonso de Aveiro encontra-se no Cancioneiro Geral de Garcia de Resende. Não é fácil encontrar poemas de João Afonso de Aveiro, contudo encontrei uma cantiga em Tesouros da Poesia Portuguesa que passo a transcrever:

CANTIGA

Pois partis e me leixeis
Tão triste, sem galardão,
Tornai-me meu coração,
Senhora, que me levais.

Coração que foste meu,
Se fôsseis meu algum dia,
Nunca mais vos tornaria
A quem tal pesar vos deu.
Mas pois vós vos contentais
D' haver mal por galardão,
Matem-vos meu coração,
Pois vós mesmo vos matais.

(Tesouros da Poesia Portuguesa (1983), António Manuel Couto, Verbo)

 

 

logotipojaa.jpg

Idioma

Portuguese English French German Italian Russian Spanish

Visitas

HojeHoje23
Esta semanaEsta semana839
Este mêsEste mês3542
TotalTotal255289

Utilizadores Activos

We have 3 guests online